1. PORTUGAL

O clima ameno, 3000 horas de sol por ano e 850 km de esplêndidas praias banhadas pelo oceano Atlântico fazem de Portugal um destino perfeito para todas as estações, a poucas horas de viagem de qualquer capital europeia.

Neste país que tem as fronteiras mais antigas da Europa, encontra-se uma grande diversidade de paisagens a curta distância, muitas atividades de lazer e um património cultural único, onde a tradição e a contemporaneidade se conjugam em harmonia.

A gastronomia, os bons vinhos e a simpatia dos portugueses completam uma oferta de serviços turísticos de qualidade, seja para um fim de semana ou para umas férias mais prolongadas.

1.1) GEOGRAFIA
Portugal está situado no extremo sudoeste da Europa e inclui os arquipélagos da Madeira e dos Açores no Oceano Atlântico. No continente europeu, o território português ocupa uma área de 88.889 km2 (com 218 km de largura, 561 km de comprimento, 832 km de costa atlântica e 1.215 km de fronteira terrestre com Espanha).

Situado no Oceano Atlântico, entre o continente europeu e o norte-americano, o arquipélago dos Açores tem uma área de 2.355 km2 e é constituído por nove Ilhas – São Miguel e Santa Maria no Grupo Oriental, Terceira, Graciosa, São Jorge, Pico e Faial no Grupo Central, e Flores e Corvo no Grupo Ocidental. As ligações com Portugal continental são asseguradas por via aérea, em cerca de 2 horas de voo.

O Arquipélago da Madeira com uma área de 741 km2, está situado no Oceano Atlântico a cerca de 500 kms da costa africana e 1000 kms do continente europeu (1h30 de voo para Lisboa). É constituído pelas Ilhas da Madeira e de Porto Santo, e pelas ilhas inabitadas das Desertas e Selvagens (que são Áreas de Reserva Natural).

1.2) CLIMA
Portugal continental
O clima em Portugal varia significativamente de região para região, e é influenciado pelo relevo, latitude e proximidade do mar, que proporciona Invernos suaves, especialmente no Algarve.

Nas áreas do Porto e Norte e Centro, especialmente nas zonas mais próximas de Espanha, os Invernos são mais frios, apesar das temperaturas serem moderadas quando comparadas com o resto da Europa. Regista-se alguma queda de neve, que é mais frequente na Serra da Estrela, onde se situa o ponto mais alto de Portugal continental (1991m) e se podem encontrar condições para a prática de ski. Os verões são quentes e secos sobretudo nas regiões do interior e no litoral o calor é moderado pela influência marítima. Durante o outono registam-se frequentemente dias ensolarados com temperaturas amenas.

Açores
Influenciado pela latitude e pela ação reguladora da corrente do Golfo, o clima dos Açores é caraterizado por temperaturas amenas ao longo de todo o ano. Estas influências condicionam igualmente a temperatura da água do mar, que se mantém muito agradável tanto no inverno como no verão, possibilitando a prática de diversos desportos marítimos.

Madeira
Com características subtropicais que se devem à sua posição geográfica e ao relevo montanhoso, o clima no arquipélago da Madeira é excecionalmente ameno, com temperaturas médias do ar que variam entre os 24 ºC no verão e os 19 ºC no inverno. A água do mar mantém igualmente uma temperatura muito agradável ao longo de todo o ano devido à influência da corrente quente do Golfo, oscilando entre os 18 ºC (inverno) e os 22 ºC (verão).

1.3) POPULAÇÃO
Portugal tem uma população de 10.562.178 habitantes (segundo o Censos efetuado em 2011).

Os maiores índices de densidade populacional registam-se em Lisboa, a capital do país, e nos seus arredores, onde vivem cerca de 1.9 milhões de pessoas. A segunda maior cidade de Portugal é o Porto, localizado no norte do país. De um modo geral as localidades junto ao litoral têm maior ocupação humana do que o interior do país.

1.4) RELIGIÃO
O povo português é maioritariamente católico, mas a Constituição portuguesa garante a liberdade religiosa, o que se traduz na presença em Portugal de diversos cultos.

1.5) LÍNGUA
De raiz latina, o português é falado por cerca de 250 milhões de pessoas em todos os continentes, sendo a quinta língua mais falada no mundo e a terceira se considerarmos apenas os idiomas europeus.

Os países de expressão oficial portuguesa espalham-se pelos quatro cantos do mundo. Assim, fala-se português em África (Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe) na América do Sul (no Brasil), e na Ásia, em Timor-Leste, o mais jovem país do mundo, sendo ainda língua oficial na Região Administrativa Especial de Macau.

Em Portugal uma boa parte dos cidadãos tem facilidade de comunicação em inglês, francês e castelhano.

1.6) GASTRONOMIA

Portugal tem uma gastronomia tão rica e variada como a sua paisagem.
É o mar que imprime a característica mais marcante à culinária portuguesa. Saboreamos um simples peixe grelhado, sempre fresquíssimo, tal como o marisco que abunda em todo o litoral, e temos a certeza de que estamos em Portugal. Porque é aqui que se encontra o melhor peixe do mundo! Mas cataplanas, caldeiradas ou outras formas de cozinhar o nosso peixe e marisco também são escolhas acertadas.
Em pratos de carne, uma sugestão de todo o país: o cozido à portuguesa mistura carnes, legumes e enchidos variados, cozidos de forma suculenta. Temos excelentes carnes DOP de norte a sul de Portugal, seja de vitela, de porco ou de cabrito. E ainda legumes e frutas que conservam o gosto de antigamente, alguns também com origens DOP, até porque muitos provêm de produções de tipo biológico.

O azeite português, de grande qualidade, está sempre presente e integra todos os pratos incluindo as receitas de bacalhau (dizem que há 1001!), em que somos exímios na forma de o preparar e apreciar.
Cada prato tem um vinho certo para companhia. É que temos vinhos em todo o país, e se o Porto tem fama, os tintos de mesa do Douro, do Alentejo e tantos outros não têm menos distinção.
E os queijos! Basta referirmos o Serra, mas todos os do Centro de Portugal, do Alentejo ou dos Açores são deliciosos.
Os doces, com raízes nos muitos conventos onde eram preparados, fazem-nos ainda hoje “”dar graças aos céus””. E não podemos deixar de provar um pastel de nata. Vai sempre bem com o café, que tomamos expresso.

No fim brindamos com um Porto ou um Madeira, os vinhos generosos que há séculos nos representam em longínquas paragens. Ou então brindamos com um excelente espumante produzido em Portugal, assinalando assim uma refeição memorável que chefs talentosos nos proporcionam um pouco por todo o país.

2. LISBOA

É a capital de Portugal. Uma cidade vibrante e cheia de história que conserva uma dimensão humana, com os seus bairros históricos, monumentos e fachadas de azulejo.

Chamada cidade branca pela luz do sol que o rio Tejo reflete, conquistou em 2014 o título de Travellers’ Choice do TripAdvisor que já ganhara em 2013, ano em que foi também eleita Melhor Destino em férias de cidade da Europa pelos World Travel Awards.

(foto)

Lisboa é uma cidade que dá vontade de ir descobrindo, vendo o que aparece em cada bairro, em cada rua. É uma cidade simpática e segura. Com muita coisa para ver, mas relativamente pequena. É ideal para passar vários dias ou um ponto de partida para passear pelo país. É antiga. É moderna. É, sem dúvida, sempre surpreendente.

Podemos escolher um tópico ou um tema para a explorar. A oferta é vasta: Lisboa romana, manuelina, barroca, romântica, literária, boémia, noturna, a cidade do Fado. E as formas, também as há muito diferentes: a pé, de elétrico, de segway, em autocarro hop-on-hop-off, num tuk tuk, vista do rio num passeio de barco ou na outra margem, depois de atravessar o Tejo num cacilheiro… as sugestões são infindáveis.

No entanto, há locais obrigatórios, que não se podem perder e fazem sempre parte da lista. Como o bairro histórico de Alfama e do Castelo, com uma das vistas mais fabulosas sobre a cidade e o rio.

Temos de passar pela Baixa, em direção a Belém, o bairro dos Descobrimentos, com a Torre de Belém e o Mosteiro dos Jerónimos, ambos Património Mundial. Mas também com o original Museu dos Coches ou o moderno Centro Cultural de Belém. Ah, e não nos podemos esquecer de provar os deliciosos pastéis de nata!

Guardamos o fim da tarde e a noite para conhecer o Chiado e o Bairro Alto, polos de animação garantida. Assim como o Cais do Sodré, mais próximo do rio.

Mas a parte nova da cidade também não pode ser esquecida. Seja para visitar alguns museus de referência como o Museu Calouste Gulbenkian, na zona norte, ou continuando pelo rio, o Museu Nacional do Azulejo. Fica a caminho do Parque das Nações, a zona portuária que foi completamente reconstruída para a Exposição Universal de 1998. É hoje um espaço de lazer importante, com uma nova paisagem urbana.

Continuando junto à foz do rio vamos perceber porque se diz que Lisboa é o centro dum vasto resort. Pela estrada marginal vamos conhecer praias e estâncias balneares que combinam villas e hotéis do início do séc. XX com marinas, esplanadas e modernos equipamentos desportivos, com particular destaque para o ciclismo, golfe e a náutica de recreio. Seguindo a costa vamos encontrar spots de surf de renome mundial, mas também os palácios espalhados pela paisagem cultural de Sintra, Património Mundial.

(foto do Palacio da Pena – Sintra)

Tanto a norte como o a sul da capital, a grande variedade de paisagens e património fica sempre a curta distância. Com praiasparques naturaispercursos culturais e alojamento para todos os gostos, é difícil escapar à região de Lisboa numa visita a Portugal.

(foto de Cascais)

fado é mais uma expressão portuguesa também elevada a Património Mundial. Por isso, jantar numa casa de fados será outra experiência a não perder. E depois ainda nos juntamos em animados bares e discotecas, onde festejamos com um copo a chegada de quem nos visita.

(foto de uma casa de fado)

2.1) LUGARES PARA CONHECER

Praça do Comercio

Castelo de São Jorge

Torre de Belem

Mosteiro dos Jeronimos

Estadio da Luz ( Casa do Benfica)

Teleferico de Lisboa

Oceanario

 

2.2) ONDE COMPRAR

Armazens do Chiado

Vasco da Gama Shopping Center

Shopping Colombo

Amoreiras Shopping

Centro Comercial Dolce Vita Monumental

El Corte Ingles

A vida portuguesa (produtos tradicionais com estilo Vintage)

Parque Eduardo VII (toalhas brancas típicas. Na parte de cima do parque, na Alameda cardeal Cerejeira, todos os dias uma senhora vende estas toalhas a 5euros)

Freeport Outlet

 

2.3) ONDE COMER

Bica do Sapato (Estaçao Santa Apolônia)

Pap’Açôrda (Bairro Alto)

100 maneiras (Bairro Alto)

Lost in (Bairro Principe Real)

The Decadent (B. Principe Real)

The Insolito (B. Príncipe Real)

Bistro 100 maneiras (Chiado)

Mercado da Ribeira (Cais do Sodre) – Time out Mercado da Ribeira, Trincas, e vários outros

No Cais, à beira d’água, a marisqueira Ibo; Casa de Pasto, Sol e Pesca;

Nas Docas – 1300 Taberna na LX Factory

Alfama: Pois, Café (Rua S. Joao da Praça, 93)

Campo de Ourique: Tasca da Esquina e Cervejaria da Esquina

Eleven

Yakuza by Oliver

 

2.4) TRADICIONAIS

Antigo Primeiro de Maio, no Bairro Alto;

Cervejaria Ramiro – frutos do mar

Pinóquio ;

Cervejaria Trindade

Casa dos Presuntos

Antiga Confeitaria de Belem

 

2.5) TRANSPORTES

Lisboa tem uma boa rede de transportes públicos, de metro – www.metrolisboa.pt – e de autocarro – www.carris.pt.

Uma das atrações na cidade são os elétricos e os elevadores que ligam a Baixa aos bairros mais altos e a miradouros: Glória, Bica, Lavra e Santa Justa. O elétrico 28 atravessa a cidade, pelos bairros históricos e é referenciado nos guias turísticos do mundo inteiro. O elétrico 15 vai desde a Praça da Figueira até Belém, ao longo do rio Tejo. Informações em www.carris.pt.

A partir do Terreiro do Paço, faz-se a ligação por barco com o Barreiro – www.transtejo.pt.

No Cais do Sodré, os barcos fazem a travessia até Cacilhas, Seixal e Montijo – www.transtejo.pt. É também o início da linha de comboio que vai até Cascais – www.cp.pt.

Para atravessar o rio, existe ainda a possibilidade de o fazer de comboio pela Ponte 25 de Abril, com a empresa Fertagus (www.fertagus.pt) ou de autocarro www.tsuldotejo.pt.

Informações turísticas em www.visitlisboa.com.

Lisboa Card – cartão que possibilita o acesso a transportes públicos e dá descontos em monumentos e outros serviços para conhecer a cidade.

Informações e postos de turismo em www.askmelisboa.com.

Informação turística sobre as igrejas na cidade de Lisboa, com propostas de visita e agenda de eventos e missas:  www.quovadislisboa.pt

FONTE: www.visitportugal.com

3. CASCAIS

“PRECISO CADA VEZ MAIS DE IR PARA CASCAIS…”

Fernando Pessoa em Carta para Ophélia Queiroz, 1929

Cascais, a 20min de Lisboa, é a mais bonita e sofisticada das cidades portuguesas e uma das mais encantadoras de toda a Europa.

O mar, a areia branca, os belíssimos e luxuosos hoteis e as lojas de rua encantam os turistas o ano inteiro.

Um elegante retiro de verão da monarquia portuguesa durante o século XIX e um porto de abrigo da realeza europeia durante a Segunda Guerra Mundial, com o passar do tempo a cidade transformou-se num refinado pólo de cultura, esporte e uma qualidade de vida invejável.

Percorra a Rua Direita, que é a principal rua de comércio da cidade, onde encontram-se bonitas lojas e vendedores de rua.

Há ainda pequenos centros comerciais e as famosas feiras de Cascais com excelentes oportunidades para adquirir peças de artesanato e boas pechinchas.

 

3.1) GASTRONOMIA

A proximidade do mar e o clima ameno, aliam-se à tradição gastronómica, conferindo à região uma oferta marcante e variada, à base de peixes e mariscos.

Entre os pratos mais populares da região, encontra-se o robalo, o sargo ou o inigualável linguado de Cascais, bem frescos e acompanhados dos melhores ingredientes. O mar oferece naturalmente muito mais. Aguce o apetite com camarão, sapateira, percebes, lagostins ou lagosta, preparados aqui de forma única e tradicional.

Para terminar a refeição não se esqueça de provar um dos doces tradicionais: os Travesseiros, as famosas Queijadas de Sintra e as Areias de Cascais. A doçaria portuguesa elaborada à base de ovos, é única na Europa, e provavelmente no mundo.

Quanto aos vinhos, a qualidade dos melhores tintos portugueses é reconhecida internacionalmente. Na região é produzido o requintado vinho digestivo de Carcavelos. Trata-se de um vinho licoroso, produzido em Região Demarcada (VLQPRD), de cor topázio, aveludado e com um aroma amendoado.

Mesmo ao lado, na zona de Sintra, é produzido o vinho de Colares. São vinhos tintos e brancos de mesa, cuja região de produção tem a classificação “DOC – Denominação de Origem Controlada” e estende-se ao longo da costa, com as vinhas protegidas por dunas de areia.

Escolher um restaurante é realmente fácil, graças à grande oferta disponível. Dos mais requintados aos mais populares, a ampla variedade de pratos vai certamente surpreendê-lo.

 

3.2) ONDE COMER

Atlantico Bar e Restaurante

Casa da Guia

Confraria (japonês)

Chef’s table

Porto Santa Maria

The Mix – Hotel farol Design

Baia do Peixe

Moules e Gin

Os Prazeres da carne

Coma um sorvete em Santini no principal risco em Cascais

Coma um “Pastel de Nata” no “O Mundo precisa de Nata” no centro de Cascais e por alguns chocolates em “Arcadia” (estas lojas estão em frente à Pizza Hut, também o escritório de turismo está ao lado).

Coma o melhor cachorro-quente do mundo em uma van estacionada em Boca do Inferno, no final da Guincho Road e assista a um pôr-do-sol deslumbrante.

Visite o mercado com peixe, vegetais, frutas, carne, tudo fresco! Na quarta e sábado no dia seguinte no centro de Cascais. Coma um macarrão no Gulli no Centro de Cascais (na baía de Cascais). Coma alguns frutos do mar tradicionais em qualquer restaurante de frutos do mar, peça: ameijoas (peça um pouco de pão para o molho), percebe, sapateira, navalheiras.

No Estoril você pode ir ao Casino para jantar ou tomar uma bebida (jantar em Zeno ou um restaurante japonês lá).

Para beber um bom vinho, você deve escolher o vinho do DOURO, ALENTEJO ou SADO. O vinho caro não significa bom vinho.

 

3.3) ONDE COMER PEIXE FRESCO

Baía do Peixe (no centro de Cascais, na baía)

Furnas do Guincho (na estrada Guincho)

Mar do Inferno (em Boca do Inferno, no final da Guincho Road)

Visconde da Luz (no centro de Cascais)

Vela Azul (na Pampilheira, Cascais, perto da farmácia de Cascais) – restaurante muito modesto, barato com ótimos peixes, você tem que comer “açorda”

Garret no Estoril, perto de Casino, é bom comer alguma coisa a qualquer momento – até às 19:00

 

3.4) ONDE COMPRAR

CASCAIS Shopping

 

3.5) LUGARES PARA CONHECER

Baía de Cascais: praticamente todos os caminhos em Cascais vão dar à Baía. É onde se encontra a sede do município e onde durante o ano se organizam inúmeros eventos. Da Baía andando em qualquer direção encontra restaurantes, bares lojas, jardins e muito mais;

Marina de Cascais: escolhida para ser o local da largada e chegada e da Expo do GFNY Portugal é, por vocação, palco de grandes eventos internacionais. Um espaço nobre de acolhimento, lazer e conforto a todos que por lá passam. Da inspiração e persistência recolhida desses antepassados, a Marina de Cascais assume-se como um projeto ambicioso do sec. XIX, aliado do ambiente e das novas tecnologias.

Além do belíssimo lugar, você poderá desfrutar dos diversos restaurantes com vistas deslumbrantes.

Parque Marechal Carmona: Este parque, onde se situa o Museu Condes de Castro Guimaraes, é o lar de muitas aves, como patos, cisnes, pavões, e também de belas plantas e flores. Tem um espaço bastante grande para as crianças brincarem livremente sem que os adultos as percam de vista, e um café junto ao lago onde a maioria das aves se junta.

O parque complementa a beleza da zona, eleita da burguesia e aristocracia Portuguesa e estrangeiras, desde o século XVIII, e é composto por varias zonas ajardinadas, espaços relvados, um troço de ribeira e vários lagos, um parque de merendas, uma estufa, um campo de jogos tradicionais, uma biblioteca juvenil, um mini-zoo e um espaço infantil dividido em três zonas distintas, de acordo com a idade dos utilizadores.

Casa da Guia:  Mais um bonito espaço para se visitar e relaxar. Outrora a Quinta dos Condes de Alcácovas, ainda está preservado o seu emblemático palacete do século XVII, totalmente recuperado.

Encostado ao oceano a caminho da Praia do Guincho, poderá encontrar lojas, restaurantes,esplanadas e uma vista perfeita para apreciar.

Praia do Guincho: Situada a cerca de 8kms do centro de Cascais, banhada pelo Oceano Atlântico, é excelente para a pratica de esportes náuticos. Ficou famosa num dos filmes de James Bond “Ao serviço de Sua Majestade” e nos anos 90 foi um dos locais da Taça do Mundo de Windsurf. Hoje em dia, com asfalto perfeito, é local de treinos para ciclistas, onde ocorrem vários eventos durante o ano.

Jardins do Cassino Estoril: Ex-libris do Estoril, é um jardim de grandes dimensões que se estende desde o Cassino ate a Avenida marginal. Sempre com uma apresentação imaculada, conta com extensas áreas relvadas, diversas arvores, bancos, fontes e alguns lagos.

A vista para o mar acompanha, na perfeição, qualquer passeio, atividade física ou uma das varias exposições ou eventos que por lá costumam acontecer.

Boca do Inferno: Localizada na costa oeste da Vila, é uma espectacular formação geológica que deve o seu nome, “Boca do Inferno”, à analogia morfológica e ao tremendo e assustador impacto das vagas que aí se fazem sentir.

Em tempos terá sido uma caverna talhada na rocha pelas aguas das chuvas e pela força das ondas, cujo tecto acabou por abater. É um local de grande impacto visual e sonoro e com um pôr-do-sol inesquecível.

Museu Condes de Castro de Guimarães: O Museu-biblioteca, com o nome do seu doador, abriu ao publico em 1931. Nas obras de adaptçao a Museu houve o cuidado de manter o ambiente de uma casa habitada, tendo sido valorizados a arquitectura interior e os seus motivos decorativos.

Neste local poderá apreciar peças de grand valor artístico e documental, incluindo obras de arte que retratam Cascais, de autores portugueses e estrangeiros, louçå indo-portuguesa e uma excelente sala de arqueologia. Merece também destaque a biblioteca, com cerca de 2.500 volumes raros.

Praia do Tamariz: Situada no Estoril, junto à estação de caminho de ferro, a praia do Tamariz é a mais cosmopolita do Concelho de Cascais. Separada dos jardins do Cassino do Estoril pela Estrada Marginal e a linha do Comboio, é um dos polos de atracçao turística da região, reunindo vários bares e discotecas.

Por estar localizada junto à estação ferroviária e ao terminal de autocarros, é um dos destinos preferidos de quem utiliza os transportes públicos.

Farol de Santa Marta: Com projecto de arquitectura de Francisco e Manuel Aires d mateus e programa museológico de Joaquim Boiça, o Farol Museu de santa Marta foi reabilitado com base num protocolo firmado entre a Câmara Municipal de Cascais e o Estado Maior da Armada Portuguesa. Abriu ao publico em Julho de 2007, o seu modelo é inédito no país, ao conjugar espaços expositivos com a função de sinalização costeira, supervisionada pela Direcçao de faróis da Marinha.

À excepçao da bala de canhao encontrada em escavações arqueológicas camarárias no recinto, a colecçao do Farol Museu de Santa Marta foi inteiramente restaurada e depositada no farol Museu pela Marinha Portuguesa/Direcçåo de Faróis.

 

3.6) OPÇÕES DE LASER

Visite “Feira do Artesanato” no Estoril, perto do cassino é uma feira de artesanato e você pode jantar lá (sardinha ou algo típico).

Alugue uma bicicleta no centro de Cascais, perto do Mc Donalds ou no final da Guincho Road (é grátis!) Dê uma volta na estrada à beira-mar, perto do mar, comece em Cascais, por trás do Hotel Albatroz até São João do Estoril (há muitas praias e lugares para comer e você pode andar de Cascais ao Estoril).

Alugue uma prancha de surf, windsurf, paddle ou outro esporte aquático no Guincho, atrás do hotel Muxaxo.

No Guincho você tem praia de Abano, Praia de Ponta da Galé e Praia de Crismina (tudo lindo).

 

3.7) SAIBA MAIS SOBRE CASCAIS

Se você quer ir a Lisboa, não faça um dia quente ou um domingo, porque você encontrará a maioria das coisas fechadas. Você pode ir de carro pela estrada marítima “marginal” de Cascais até Lisboa, seguir o mar e o trem, ou você pode ir de trem. A estação de trem fica no centro de Cascais e sai na última saída (Cais do Sodré) e depois passa a “Baixa / Chiado”.

www.visitcascais.com

4. SINTRA

Sintra é uma vila portuguesa pitoresca, localizada no centro das colinas da Serra de Sintra. Este clima ligeiramente mais fresco atraiu a nobreza e elite de Portugal, cuja construiu palácios requintados, residências extravagantes e jardins decorativos.
A variedade de edifícios históricos fascinantes e as belíssimas paisagens estabeleceram Sintra como um dos melhores destinos turísticos, assim como a viagem complementar mais popular a partir de Lisboa, além de ser um otimo dia de viagem desde Cascais.

 

4.1) TRANSPORTES
De Cascais a Sintra por transportes públicos
Sintra fica a 17kms a norte de Cascais e esta ligada por tanto via ferrea como rodoviaria. A rota por comboio nao e muito pratica pois implica duas viagens:numa de Cascais ate Lisboa e uma segunda de Lisboa ate sintra.
A linha de autocarro que liga Sintra a Cascais é direta e é a mais recomendavel entre as duas cidades.

De Cascais a Sintra de Autocarro
Autocarro 417 – é o mais rápido, seguindo uma rota direta, e leva 30min ate Sintra;
Autocarro 403 – é mais lento (1 hora de viagem), mas a rota atravessa as ruas costeiras com vistas panorâmicas, antes de subir as montanhas da Serra de Sintra. Este autocarro pára no Cabo da Roca, o ponto mais a Oeste da Europa.
Ambos os sérvios partem da Estaçao de Autocarros de cascais, localizada por baixo do grande Centro Comercial “Cascais Villa”, a cerca de 100mts da estacao de comboios.
Em Sintra o autocarro termina a viagem na Estacao de Comboios de Sintra, localizada para se interligar com o serviço de autocarro turístico 434. Este liga a Estacao de Comboios, o centro histórico de sintra, o Palacio da Pena e o Castelo dos Mouros.
O serviço 434 parte a cada 40min. esteja preparado para esperar na estacao.

Para ambas as rotas de Sintra para Cascais ha um serviço a cada hora. Confirme a hora exata na Estaçao de Cascais.

O bilhete único custa 4,05 Euros e é comprado ao motorista.

Nao considere ir a conduzir de Cascais ate sintra. As ruas estreitas e inclinadas nao foram construídas para suportar elevado volume de trafego e os locais de estacionamento sao quase inexistentes.

 

4.2) O QUE VER EM SINTRA

PALACIO DA PENA: É um palácio elaborado e colorido, que é o destaque de qualquer visita a Sintra.
O palácio foi erguido durante o sec. XIX por um rei excêntrico, que patrocinava as artes e desejava que o seu palácio de verão refletisse a magnitude de um cenário de opera.
Contemplado à distancia, a vivacidade da pintura do Palácio da Pena cria um forte contraste relativamente aos verdes claros em torno da floresta, enquanto que as complexas esculturas e belos detalhes se tornam aparentes quando este é observado de perto.
O palácio foi o local em que a nobreza Portuguesa passou a sua ultima noite, antes de fugir para o Brasil em exilio, em 1910, consequência da revolução Portuguesa.
Em recordação deste evento, o seu interior foi restaurado para se assemelhar ao cenário presente em 1910, e o Museu do Palacio da Pena é um museu extremamente informativo e fascinante.

PALACIO NACIONAL: De estilo gótico, situa-se no coração de Sintra e foi o Palácio Real mais frequentado de Portugal.
O palácio foi continuamente utilizado desde o sec. XV ate a queda da monarquia em 1910.
O exterior tem arcos góticos e fachadas simplistas desgastas de branco, mas as estruturas dominantes sao as duas chaminés maciças que se estendem sobre a cozinha.
O interior do palácio reflete o continuo uso do edifício com múltiplos estilos e designs. As duas salas mais decoradas artisticamente sao a Sala dos Cisnes e a Sala das Pegas.

CASTELO DOS MOUROS: O Castelo dos Mouros é um castelo parcialmente restaurado que data desde o sec. IX e foi construído pelos Mouros da África do Norte para proteger as terras férteis de Sintra. O castelo foi uma vitória significativa para os Cruzados Cristaos do sec. XII, mas rapidamente caiu em ruina, uma vez que Lisboa foi escolhida antecipadamente como capital.
Ao longo do tempo, o castelo tornou-se uma ruina abandonada, fustigado por fogos e terremotos subsequentes.

O quase esquecido castelo foi restaurado durante o sec. XIX, como parte integrante dos terrenos do Palácio da Pena.
Hoje, o castelo é situado no meio das florestas de Sintra e oferece aos visitantes paisagens maravilhosas sobre a região.

PARQUE DA PENA: O Parque da Pena circunda o Palacio da Pena e contem inúmeros trilhos agradáveis através das florestas e jardins .
O labirinto de caminhos arborizados leva a áreas variadas, incluindo uma estatua gigante do rei D. Fernando, aos topos das colinas ou a lagos secretos.
O cume mais alto da Serra de Sintra é uma caminhada de 20min desde o Palacio, e este lugar proporciona uma maravilhosa oportunidade para fotografar o Palacio da pena.

QUINTA DA REGALEIRA: É uma mansão gótica extravagante do sec. XIX que foi construída pelo homem mais rico de Portugal na época.
A principal atracao da propriedade sao os jardins sofisticados, que contem um elaborado sistema de tuneis. Escondidos por toda a parte na propriedade estão símbolos religiosos secretos, jardins ocultos e outros objetos misteriosos.

Fonte: sintra-portugal.com

5. MAFRA

Esta localidade nos arredores de Lisboa, na chamada Região “saloia”, que abastecia a capital de produtos hortícolas, é conhecida pelo imponente Palácio-convento, o maior edifício português, construído no séc. XVIII por ordem de D. João V.

O Rei que ainda não tinha filhos, três anos após o seu casamento com D. Maria Ana de Áustria, prometeu aos frades franciscanos que lhes construiria um convento na localidade de Mafra, caso as suas preces para que um herdeiro nascesse, fossem atendidas.

Por ocasião do nascimento de D. Maria Pia (sua filha), iniciou-se a construção do edifício, cujo projeto inicial era bastante modesto. No entanto, e após a contratação do arquiteto alemão Ludovice o projeto sofreu alterações profundas possíveis de concretizar dado o fausto que se vivia em Portugal nessa altura, devido às riquezas provenientes do Brasil. Assim foi construído este monumento grandioso, (que além do convento para 300 frades, inclui uma basílica e um palácio real com 666 divisões), num tempo record de 1717 a 1730 para ser inaugurado na data do 41º aniversário do Rei.

Anexa ao Convento, a Tapada de Mafra, adquirida por D. João V em meados do séc. XVIII, para valorizar o enquadramento do edifício, foi usada como reserva de caça, estando atualmente aberta ao público.

Nos arredores merece visita na aldeia do Sobreiro, a Oficina de Cerâmica de José Franco, onde se poderá apreciar a recriação dos aspectos mais tradicionais da vida das aldeias da região, em tamanho real ou através de miniaturas animadas.

Próximo de Mafra, junto ao mar, a tradicional vila piscatória da Ericeira é muito procurada como estância balnear, e por surfistas atraídos pelas excelentes condições que esta praia e as que lhe são vizinhas (Ribeira de Ilhas, Lizandro) oferecem para a prática deste desporto

5.1) ERICEIRA e AZENHAS DO MAR

Tradicional vila piscatória, a Ericeira desenvolveu-se muitíssimo durante o séc. XX pela crescente procura como zona de veraneio, mantendo todavia as suas características originais e uma atmosfera muito própria.

Situada a cerca de 50 kms de Lisboa, numa zona de fácil acesso, as suas Praias são muito concorridas durante o verão, sendo consideradas das melhores a nível europeu para a prática de surf. Um destaque especial merece a Praia de Ribeira d`Ilhas, onde se realiza anualmente uma das provas do Campeonato Mundial de Surf, a partir de 2018 sera uma das cidades a receber o GFNY PORTUGAL, tornando-se tambem conhecida por oferecer excelentes estradas para a pratica do ciclismo.

Um passeio pela Ericeira é também uma excelente oportunidade para saborear os variados pratos de marisco e peixe fresco, especialidade gastronómica da região.

5.2) Restaurantes e Cafés
Local bastante acolhedor e moderno com ementa à base de peixes e mariscos da nossa costa. Aqui, no restaurante das Azenhas do Mar, junto à piscina, a uma azenha e ao mar, perde-se o olhar na praia. Com a maré cheia, a água deve chegar aos pilares da esplanada que está cá no alto. Por cima, fica a bonita povoação das Azenhas do Mar, toda muito branquinha construída sobre a rocha. Vê-se tudo isso daqui. Lá dentro ouve-se música ambiente, a condizer com o meio. As cores predominantemente claras refletem a luz. Metade do revestimento das paredes fica a cargo das madeiras em tom cru e os delicados estores de palha estão subidos para se ver as vistas. Uma seleção de vinhos bem elaborada. A comida é tão apreciada quanto a paisagem que daqui se avista.